selo aldir blanc preto

Cynthia Cy Barra é yawô de Naná, do Ilé Obìnrín Omi Àṣẹ Ayira, como pesquisadora de autorias afro-diaspóricas e indígenas, lê-escreve-editora expressões do feminismo negro articuladas a poéticas ancestrais que emergem no campo das artes verbo-visuais contemporâneas. No Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas/PPG-CEN/UnB, faz estágio pós-doutoral, com o projeto de pesquisa-criação ìlẹ̀kùn: performances da oralitura, livros-folha nagô-vodum. Integra o grupo de pesquisa Lêtera Negra (UFSB/CNPq) e a Red latinoamericana de investigaciones en prácticas y medios de la imagen (ImagenLat). É professora na Universidade Federal do Sul da Bahia, nos cursos Bacharelado Interdisciplinar em Artes, Bacharelado em Mídia e Tecnologia e na Pós-graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais / PPGER.

“Tudo escreve” – O que vejo onde vivo

palavras-chave:  encontro, acaso, escrita

Do que se lê e não se esquece: “tudo escreve” (marguerite duras).

“Nem todo ar flutua” – Paisagens pandêmicas de todo dia

palavras-chave: mundo, teia azul, calunga-morada

Do que se lê e não se esquece: “esquentei comida. li um pouco, não sei dormir sem ler” (carolina maria de jesus).

realização

apoio financeiro